45,6% das empresas de Campo Grande não pretendem demitir funcionários

A pesquisa foi realizada entre os dias 29 de março e 2 de abril

45,6% das empresas de Campo Grande não pretendem demitir funcionários – Bruno Herinque

 

 

De acordo com a pesquisa realizada pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande com empresas da Capital não pretendem demitir nenhum colaborador e apelam para que população continue seguindo as regras sanitárias.

Com as dificuldades da pandemia, 26,3% da empresas preveem uma redução de quadro de até 5%; para 13,1% a demissão deve ser de mais de 10%; 9,6% dos respondentes devem dispensar até 30%, e 5,2% afirmam que devem reduzir a equipe em 50%.

O presidente da Associação Comercial, Renato Paniago, ressalta pontos que devem ser vistos como positivos.

“Apesar do cenário crítico que estamos vivendo em meio a pandemia, podemos destacar alguns pontos positivos no levantamento, como o fato de 43,8% das empresas não terem registrado nenhum caso de colaborador infectado, e que 45,6% dos estabelecimentos não pretendem demitir colaboradores. Sabemos que o cenário não é favorável para os setores de comércio e serviços, e, ainda assim, as empresas de Campo Grande continuam tentando sobreviver e não demitir”.

Conforme a pesquisa aponta, 43,8% dos estabelecimentos não registraram nenhum afastamento de colaborador por infecção pela Covid-19 desde o início da pandemia.

35,9% responderam que até três colaboradores foram afastados pela doença; 12,2% afastaram de 4 a 6 funcionários; de 7 a 10 colaboradores precisaram de licença em 4,3% das empresas, e 3,5% responderam que mais de 11 colaboradores foram contaminados desde o início da pandemia.

Questionados sobre quantos colaboradores foram demitidos ao longo dos meses, 40% dos estabelecimentos não registrou nenhuma demissão,  43,4% disseram que demitiram até cinco pessoas; 11,3% demitiram de seis a 10 pessoas, e 5,2% disseram que precisaram dispensar entre 11 e 20 pessoas do quadro de mão de obra das empresas.

“As empresas da Capital são exemplos no combate à doença. Os estabelecimentos são constantemente fiscalizados, os colaboradores são orientados a seguir os protocolos sanitários, ou seja, o setor está fazendo a sua parte na luta contra a Covid-19. Apelamos para que a população colabore, que não frequente festas clandestinas, que sigam os protocolos de biossegurança para frear a pandemia”, finalizou o presidente.

A pesquisa foi realizada entre os dias 29 de março e 2 de abril, com empresas dos setores de vestuário (16,52%), Calçados (9,57%), Alimentação (15,65%), Serviços (29,57%) e segmentos não especificados no questionário (28,70%).

fonte: correiodoestado
Espalhe por ai:

Veja Também

Decreto traz 6 regras que entram em vigor na segunda

Eventos grandes e estabelecimentos devem ter plano de contenção de riscos, mas não precisam protocolar ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.