Home / Destaques / Casamentos entre pessoas do mesmo sexo cresceram 42% em MS

Casamentos entre pessoas do mesmo sexo cresceram 42% em MS

No ano passado foram 166 casamentos registrados em cartório, sendo 56 entre homens e 110 entre as mulheres

Buquê, símbolo de vida e alegria, utilizado em cerimônia em Campo Grande (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

 

O número de casamentos registrados em 2018 apresentou crescimento em Mato Grosso do Sul em comparação o ano anterior, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Entre pessoas do mesmo sexo, houve aumento significativo de 41,88%.

De acordo com o IBGE, no ano passado foram 166 casamentos registrados em cartório aqui no Estado, sendo 56 entre homens e 110 entre as mulheres. Em 2016 foram 106 casamentos entre pessoas do mesmo sexo e no ano seguinte 117.

A união oficial entre homens apresentou crescimento anual de 27,27%, passando de 44 para 56, enquanto entre as mulheres o salto foi de 50,68%, de 73 para 110 casamentos. O alto índice é repetido na média nacional, segundo analistas, como reflexo da onda conservadora que para muitos é vista como ameaça a direitos adquiridos por homossexuais.

Segundo o IBGE, o número total de casamentos aumentou de 16.650 para 17.169, crescimento de 3,11%. Entre cônjuges masculino e feminino, o índice subiu 2,84%, passando de 16.533 casamentos em 2017 para 17.003 no ano seguinte.

Mato Grosso do Sul apresentou a 4ª maior taxa de casamentos a cada mil habitantes. A média foi de 8,1 pessoas, de 15 anos de idade ou mais, que se uniram por meio do casamento legal. O Estado ficou atrás apenas de Rondônia (10,1), Acre (9,9) e Distrito Federal (8,5). A média nacional ficou em 6,4 pessoas.

Por outro lado, Mato Grosso do Sul também aparece com a 2ª maior taxa de divórcios, passando a liderança do ano anterior para Rondônia (3,8). Foram considerados os divórcios das pessoas de 20 anos ou mais de idade concedidos em 1ª instância ou realizados por escrituras extrajudiciais. A taxa do Estado foi de 3,5, acima da média nacional, de 2,6.

O número de divórcios em Mato Grosso do Sul caiu de 5.993 de 2017 para 5.891 do ano seguinte. Campo Grande acompanhou o ritmo, passando de 3.280 para 3.051.

A taxa de guarda legal dos filhos menores de idade cresceu entre as mulheres, de 70,55% em 2017 para 72,02% em 2018. Entre os ex-maridos houve redução de 4,82% para 4,62%. A guarda compartilhada caiu de 22,62% para 21,06%.

Natalidade – Mato Grosso do Sul apresentou redução no número de nascimentos registrados em 2018, com redução de 1,2%, atrás do Distrito Federal (-1,4%). Foram 44.160 nascidos vivos, sendo 22.503 meninos e 21.656 meninas. Em Campo Grande, foram 7.135 crianças do sexo masculino e 6.950 do sexo feminino, total de 14.085. Os meses de março e maio foram os que mais registraram partos de nascidos vivos, com 4.178 e 4.063, respectivamente.

Em relação à idade da mãe, a faixa etária com maior número de nascimentos ocorreu entre 20 e 29 anos de idade, com 48,5%. Porém, a que maior apresentou crescimento de um ano para outro foi de 30 a 39 anos, 1,5%, passando de 13.361 para 13.568.

A pesquisa do IBGE também aponta que em 2018 Mato Grosso do Sul registrou total de 16.286 óbitos, sendo 15.026 mortes naturais e 1.212 mortes violentas. Do total, 9.430 eram homens e 6.856 mulheres. Quase 83% das mortes violentas no Estado ocorreram com pessoas do sexo masculino.

Em Campo Grande, foram registrados 5.399 óbitos, sendo 5.045 naturais e outras 353 violentas. Do número total, 2.999 eram homens e 2.400 mulheres.

 

Espalhe por ai:

Veja Também

MS tem 406 pacientes internados com a covid e Saúde pede “medidas restritivas”

Durante live, titular da Secretaria Estadual de Saúde pediu a gestores municipais medidas como toque ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.