Com fim da isenção do Governo Federal, diesel fica 4,40% mais caro em MS

PIS e Cofins voltaram a incidir sobre o produto desde o dia 1° de maio

O preço do diesel ficou 4,40% mais caro em Mato Grosso do Sul – Foto: Arquivo

 

O preço do diesel ficou 4,40% mais caro em Mato Grosso do Sul na primeira semana sem a isenção dos tributos federais sobre o produto. A conclusão foi feita com base na pesquisa semanal de preços feita pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP).

Por determinação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no começo do ano, esse combustível ficou isento de PIS e Cofins durante os meses de março e abril.

Como a medida não foi renovada, a partir do dia 1º de maio elas começaram a incidir nas bombas novamente.

Em Mato Grosso do sul, o preço médio do diesel calculado pela ANP foi de R$ 4,388 entre os dias 2 e 8 desde mês. Para chegar a esse valor, fiscais do órgão foram até 20 postos espalhados em vários municípios do Estado. Na semana anterior, o produto custava em torno de R$ 4,203.

Segundo os dados da Agência, considerando os valores reais nas revendas, Dourados têm o diesel mais caro do estado, que em alguns pontos chega a custar R$ 4,94 para o consumidor final.

Em Campo Grande, o combustível foi encontrado na faixa de R$ 3,99 a R$ 4,59 na última semana.

REFLEXOS

O preço do diesel interfere diretamente nos valores cobrados pelo frete. Se os transportadores seguram os sucessivos aumentos, reduzem suas margens de lucros.

A categoria já havia demonstrado insatisfação com relação aos valores. Sem uma nova isenção, o Governo Federal tem se reunido com lideranças do setor para tentar chegar a um consenso e evitar uma greve como a de 2018.

Segundo informações da Gazeta do Povo, naquela época, o preço do diesel era de R$ 3,60. Corrigindo o valor pela inflação, chega-se a R$ 4,11.

Na semana passada, com a alta provocada pelo fim da isenção, o produto alcançou a média de R$ 4,41.

fonte: correiodoestado
Espalhe por ai:

Veja Também

Decreto traz 6 regras que entram em vigor na segunda

Eventos grandes e estabelecimentos devem ter plano de contenção de riscos, mas não precisam protocolar ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.