Home / Destaques / Decreto proíbe bailes e aglomerações nas ruas de MS durante o Carnaval

Decreto proíbe bailes e aglomerações nas ruas de MS durante o Carnaval

A proibição vale entre os dias 12 e 17 deste mês; de acordo com o Governo, o objetivo é frear a disseminação da covid-19

Cena como esta, no Cordão da Valu em 2020, não será vista neste ano, se proibição for respeitada (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

 

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) assinou decreto, que foi publicado nesta segunda-feira (8) no Diário Oficial do Estado, vetando bailes de Carnaval e aglomerações em ruas e calçadas. A proibição vale entre os dias 12 e 17 deste mês.

Conforme a publicação, “determina-se, em todo o território de Mato Grosso do Sul, em razão da emergência de saúde pública ocasionada pela covid-19, a suspensão das atividades que possam acarretar aglomeração de pessoas, em espaços públicos ou privados de uso coletivo”. Veja mais:

Toque de recolher – Ainda como forma de evitar que multidões tomem as ruas, o governo prorrogou o toque de recolher por mais 15 dias. O último decreto foi divulgado em 22 de janeiro, no Diário Oficial, e também estendia a medida por duas semanas, a contar de 25 de janeiro, quando acabaria o prazo estipulado na determinação anterior. A restrição de circular das 22h às 5h, em todas as cidades, estava em vigor até amanhã, dia 9, prazo que, portanto, foi renovado.

De acordo com o Governo de Mato Grosso do Sul, as iniciativas tem como objetivo evitar nova onda de contágio, que pode vir como consequência do relaxamento dos cuidados e isolamento durante a folga prolongada, e ainda colocar mais freio na disseminação da covid-19.

Ponto facultativo – Na semana passada, o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, já havia adiantado ao Campo Grande News que mais restrições seriam impostas à população durante o Carnaval. Defensor da suspensão do ponto facultativo para os cerca de 47 mil servidores estaduais na ativa, como forma de evitar aglomerações durante o feriadão, o secretário disse respeitar a decisão do governador de manter a folga prolongada para o funcionalismo público.

O secretário afirmou que além do COE (Centro de Operações de Emergências) ter entendido que o “cancelamento do feriadão” não surtiria o efeito esperado no que diz respeito a frear o contágio do novo coronavírus, o governador “confia nos servidores”.

Conforme calendário publicado no dia 18 de dezembro de 2020, funcionários públicos estaduais têm folga nos dias 15 e 16 de fevereiro, além do dia 17 até às 13h, em razão da Quarta-feira de Cinzas.

Depois de enfrentar a segunda onda de contaminação do novo coronavírus, em dezembro, quando Mato Grosso do Sul chegou a ter média de 25 mortes por dia e registrar recorde de 33 óbitos em 24 horas – no dia 5 de janeiro –, a curva de contágio no Estado começou a dar sinais de queda. Desde 10 de janeiro, médias de novos casos registrados e mortes estão reduzindo a cada dia, mas ainda em patamar alto – mais de 20 mortes e de 1 mil casos por dia.

 

fonte: campograndenews
Espalhe por ai:

Veja Também

Conta de luz ficará até 8,9% mais cara em Mato Grosso do Sul, decide Aneel

O aumento será de 7,28% para residências e de 10,69% para empresas de 74 cidades ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.