Infraestrutura e alta demanda, levam soja a ampliar avanço sobre áreas de pecuária em Mato Grosso do Sul

Alta demanda pela oleaginosa e construção de pontes de concreto têm contribuído para o avanço

Colheita de soja em Mato Grosso do Sul – Álvaro Rezende

Municípios de Mato Grosso do Sul que sempre se destacaram pelo rebanho bovino e pela boa produtividade na pecuária, têm ampliado a área de cultivo de soja. É mais um dos sinais da expansão da área plantada da oleaginosa, em função da alta demanda externa pelo grão.

Levantamento feito pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) a partir de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que os municípios que mais aumentaram suas áreas plantadas com soja são  Nova Andradina (39,05%); Nioaque (36,29%); Angélica (34,81%); Bodoquena (33,34%) e Anastácio (26,98%).

Alguns deles, caso de Nova Andradina (17º), Nioaque (14º) e Anastácio (25º), se destacam como grandes produtores de bovinos.

Se sobressai na lista Ribas do Rio Pardo, que é o segundo maior município em produção pecuária do Estado, e um dos principais produtores do Brasil. Lá, a área de soja foi ampliada em 5,6% na última safra.

Uma das explicações para a expansão, além da alta demanda no mercado internacional, estão os investimentos em infraestrutura. O secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, por exemplo, lembra das pontes de concreto que o governo está construindo.

“Ao implantá-las é possível e facilitado o transporte de grãos e isso estimula produtores, indústrias a fazer a ampliação de soja, representando desenvolvimento e, mais do que isso, empregos, oportunidades que chegam até a mesa da população”, lembra.

Na última safra colhida, a 202021, Mato Grosso do Sul produziu um recorde de 13 milhões de toneladas do grão. Os números são da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja), e demonstram um resultado 17,5% superior às 11,3 milhões de toneladas do ciclo anterior.

A área colhida somou 3,5 milhões de hectares e a produtividade em 62,83 sacas por hectare.

“Os dados mostram um setor produtivo fortalecido, o que tem garantido ao Mato Grosso do Sul, assim como as iniciativas do Governo do Estado, a competitividade e o crescimento”, lembra Riedel.

As informações do Sistema Famasul confirmam que, desde o surgimento do Projeto SIGA/MS, em 2009, vem sendo observado um avanço das áreas de grãos sobre as áreas de pastagens, principalmente com algum nível de degradação. “Isso é evidenciado pelo maior número de crescimento proporcional das áreas agrícolas em municípios tradicionalmente pecuários”, explica a Famasul.

Segundo a instituição, a evolução da produção agrícola traz incrementos na geração de empregos, na demanda de serviços e na arrecadação dos municípios, o que movimenta a economia da região, no âmbito privado e público.

“Sem dúvida o crescimento das áreas agrícolas tem acontecido conforme se avança em infraestrutura, como melhorias de estradas vicinais, pavimentação de rodovias estaduais, manutenção de pontes, entre outras ações. Ao mesmo tempo, a soja e milho são produtos que contribuem na arrecadação do Fundersul, destinado também à manutenção e expansão das rodovias estaduais. Portanto, é uma via de mão dupla, setor privado cresce e gera arrecadação, e o setor público investe e potencializa ainda mais novos investimentos privados”., afirma o relatório

fonte: coreiodoestado
Espalhe por ai:

Veja Também

Friozinho continua e previsão é de tempo firme em grande parte do Estado

Temperaturas não devem passar dos 28ºC e umidade relativa do ar chega aos 30%   ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.