Home / Destaques / Justiça leiloa aeronaves e veículos do tráfico avaliados em R$ 1,1 milhão

Justiça leiloa aeronaves e veículos do tráfico avaliados em R$ 1,1 milhão

Cidades
19/07/20

Aeronave de R$ 650 mil, está no Aeródromo Ocorema, na MS-228, em Ladário (Foto: Divulgação)
19 15:38
Justiça leiloa aeronaves e veículos do tráfico avaliados em R$ 1,1 milhão
São 12 lotes a disposição para o certame, marcado para 5 de agosto, a partir das 9h. Os lances já podem ser feitos pela internet
Gabriel Neris
Imprimir Enviar por E-mail
Aeronave de R$ 650 mil, está no Aeródromo Ocorema, na MS-228, em Ladário (Foto: Divulgação)
Aeronave de R$ 650 mil, está no Aeródromo Ocorema, na MS-228, em Ladário (Foto: Divulgação)
A 3ª Vara Federal Criminal de Campo Grande vai leiloar aeronaves e veículos apreendidos durante a Operação All, deflagrada em março de 2017.

São 12 lotes a disposição para o certame, marcado para 5 de agosto, a partir das 9h. Os lances já podem ser feitos pela internet (clique aqui).

Entre os lotes estão três aeronaves Cessna avaliadas entre R$ 15 mil e R$ 650 mil. Também estão cinco caminhões, com valores de R$ 30 mil a R$ 90 mil, um semirreboque (R$ 50 mil), uma Honda CBR (R$ 9 mil) e mais dois veículos, um Honda HR-V e Toyota Hilux, de R$ 70 mil e R$ 40 mil, respectivamente.

Os caminhões, carros e moto estão à disposição para visitação na Avenida Tamandaré, 1.066, Vila Alto Sumaré, em Campo Grande. Duas das aeronaves estão no pátio do Aeroporto de Londrina (PR) e a mais cara, de R$ 650 mil, está no Aeródromo Ocorema, na MS-228, em Ladário, a 419 km de Campo Grande.

A All In foi deflagrada em 28 de março de 2017 para investigar uma quadrilha que detinha patrimônio próximo a R$ 7,5 milhões. As investigações sobre tráfico e lavagem de dinheiro ocorreram em Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Minas Gerais, com 18 ordens de prisão e 25 mandados de busca e apreensão.

Seis aeronaves e cinco imóveis e o bloqueio de 35 veículos e de valores em 68 conta bancárias também foram decretados. Envolveram, ainda, a apreensão de 800 kg de cocaína.

A quadrilha teria usado cerca de 30 pessoas como laranjas até mesmo sem seu conhecimento para o registro de bens. Frequentadores da cracolândia paulista foram identificados na lista –eles podem ter sido usados como “mulas” para o tráfico.

O esquema seria capitaneado pelo piloto Gerson Palermo, preso em Campo Grande e suspeito de já ter liderado uma facção criminosa. A PF aponta um esquema no qual membros da quadrilha eram registrados em empresas de outros integrantes do grupo, como forma de se manter as aparências.

“All In” é o nome no poker da aposta de todas as fichas em uma única jogada –a quadrilha teria entre suas práticas arriscar suas operações com o transporte de grandes quantidades de entorpecentes.

Espalhe por ai:

Veja Também

MS tem 406 pacientes internados com a covid e Saúde pede “medidas restritivas”

Durante live, titular da Secretaria Estadual de Saúde pediu a gestores municipais medidas como toque ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.