MS pedirá doses extras de vacina para atender municípios de fronteira

Secretário Geraldo Resende destacou que muitos brasileiros precisam retornar ao País para se imunizar

Idosa é vacinada em posto montado em Ponta Porã, na fronteira do Brasil com o Paraguai (Foto: Prefeitura de Ponta Porã)

 

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, afirmou na manhã desta segunda-feira (12) que solicitará junto ao Ministério da Saúde doses extras de vacina contra covid-19 para atender os municípios localizados nas fronteiras com o Paraguai e Bolívia.

Segundo Resende, o pedido será feito pessoalmente em agenda marcada terça-feira junto com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

“Haveremos de solicitar um quantitativo maior de vacinas para atender os municípios de fronteira. Muitos brasileiros vivem no Paraguai e têm atividades lá, os chamados ‘brasiguaios’. Além disso, temos muitos brasileiros que moram na Bolívia. Eles recorrem ao SUS (Sistema Único de Saúde) no Brasil para se imunizar”, disse Geraldo nesta manhã.

O secretário lembrou que Mato Grosso do Sul está em primeiro lugar no ranking de imunização dos estados.

Geraldo também falou sobre outro pedido junto à pasta do governo federal. “Vamos pleitear medicamentos do kit intubação. Todos os dias vivenciamos a angústia da falta desses medicamentos e nós queremos pelo menos ter, por parte do Ministério, uma resposta adequada para que possamos enfrentar esta situação da falta desses medicamentos aqui no Estado”, completou.

Mato Grosso do Sul vacinou 14,11% da população, de acordo com a plataforma Mais Saúde. Campo Grande já conta com 15,78% da população imunizada com a primeira dose.

 

 

fonte: campograndenews
Espalhe por ai:

Veja Também

Decreto traz 6 regras que entram em vigor na segunda

Eventos grandes e estabelecimentos devem ter plano de contenção de riscos, mas não precisam protocolar ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.