Home / Destaques / Na Capital, litro da gasolina atinge o maior valor da série histórica da ANP

Na Capital, litro da gasolina atinge o maior valor da série histórica da ANP

Conforme o levantamento, o preço do combustível custa entre R$ 4,43 e R$ 4,89 em Campo Grande

Com os valores atuais, a troca pelo etanol não compensa – Álvaro Rezende

 

 

O preço médio do litro da gasolina chegou ao maior valor da série histórica pesquisada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Conforme a agência, até o dia 7 deste mês o litro do combustível foi comercializado pelo valor médio de R$ 4,51, indo de R$ 4,43 a R$ 4,89.

Em março, o preço médio chegou a R$ 4,49 e havia sido o maior desde que foi iniciada a pesquisa, em 2001.

O levantamento da ANP foi paralisado no fim de agosto e só foi retomado há três semanas.

Os preços divulgados em outubro e novembro levaram em consideração apenas os valores praticados em Campo Grande.

“A abrangência geográfica e a periodicidade da pesquisa continuam as mesmas. Contudo, de acordo com os critérios da licitação, a contratação prevê a gradual expansão das amostras e dos municípios integrantes até que se atinja cerca de 6 mil postos e 4.400 revendas de GLP semanalmente, em 459 localidades. Na primeira etapa, o levantamento abrangerá pelo menos as 26 capitais estaduais e o Distrito Federal. A adição de municípios se dará ao longo de oito etapas”, informou a agência em nota.

Se a versão comum da gasolina está com os preços elevados, a aditivada tem um valor ainda maior. De acordo com o levantamento da ANP, o litro da gasolina aditivada vai de R$ 4,43 a R$ 4,77, média de R$ 4,60.

A reportagem do Correio do Estado também pesquisou os preços praticados na Capital.

Conforme pesquisa realizada ontem (9), o preço médio do litro da gasolina comum é de R$ 4,50, variando entre R$ 4,45 e R$ 4,64. A reportagem visitou os mesmos postos há um mês e o litro do combustível era comercializado a R$ 4,44, em média.

O diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos (Sinpetro-MS), Edson Lazarotto, explica que o aumento de preços vem de uma série de impactos.

“Como sempre frisamos, é questão de mercado, ou seja, prevalece o livre mercado tanto para distribuidoras como para postos. No mês passado, ocorreram diversos aumentos e alguns até acumulados de setembro que não haviam sido repassados, a inflação também se fez presente para a alta nos preços”, destacou.

No dia 26 de outubro, a Petrobras anunciou reajuste dos preços praticados em suas refinarias. Segundo nota, a gasolina teve redução de 5% (ou R$ -0,09 por litro), o preço às distribuidoras foi a R$ 1,66 por litro. No acumulado do ano, a redução chega a 13,7 %. A gasolina teve 35 reajustes em 2020, até agora, sendo 16 aumentos e 19 reduções.

Competitividade

O etanol acompanhou a gasolina e também ficou mais caro na Capital. De acordo com o levantamento da ANP, o valor médio do biocombustível é de R$ 3,26, variando do mínimo de R$ 3,13 ao máximo de R$ 3,49. Em agosto, o álcool custava R$ 3,14.

Considerando os dados da ANP, com a gasolina a R$ 4,51 e o etanol a R$ 3,26, a diferença entre os combustíveis chega a 72%, acima do máximo indicado de 70%.

O biocombustível tem uma queima maior e por isso é consumido mais rapidamente. Com um litro de álcool, o motorista percorre uma quilometragem menor, se comparada à autonomia de um litro de gasolina.

Por este motivo, o álcool precisa custar até 70% o valor da gasolina. Desta maneira, não compensa aos consumidores trocar a gasolina pelo etanol.

No dia 19 de setembro, conforme noticiou o Correio do Estado, o etanol era comercializado ao preço médio de R$ 2,89, variando de R$ 2,78 a R$ 3,24.

Enquanto o litro da gasolina variava entre o mínimo de R$ 4,33 e o máximo de R$ 4,56, média de R$ 4,39. A diferença na ocasião era de 65%, ou seja, era vantajoso fazer a troca de um pelo outro.

Estado

Mato Grosso do Sul registrou a gasolina mais cara da região Centro-Oeste em outubro. De acordo com o Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o litro da gasolina é o mais caro da região desde abril.

Em outubro, o preço médio do litro da gasolina em MS é de R$ 4,77.

Já o etanol apresentou o valor médio de R$ 3,38 e é o mais indicado para quem abastece nos postos do Estado.

Considerando os preços em todo o território estadual, ainda há paridade nos preços. Com a gasolina a R$ 4,77 e o álcool a R$ 3,38, a paridade fica em 70%.

 

fonte: correiodoestado
Espalhe por ai:

Veja Também

Comércio ficará aberto até mais tarde a partir do dia 5 de dezembro

Horário será ampliado devido ao período de fim de ano, que costuma ser de maior ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.