Home / Destaques / Nos terminais, fiscalização diz que uso de máscara foi uma “grata surpresa”

Nos terminais, fiscalização diz que uso de máscara foi uma “grata surpresa”

Quem era encontrado sem máscara, recebia o equipamento, mas desrespeito ao distanciamento continua

Fiscais da Semadur e equipe da Guarda Municipal circularam em três terminais da cidade (Foto: Henrique Kawaminami)

No primeiro dia de obrigatoriedade do uso de máscaras em ônibus do transporte coletivo, a fiscalização considerou adesão satisfatória, “uma grata surpresa”. Porém, não foi difícil encontrar quem não respeitou a norma ou o distanciamento social nos terminais.

A fiscalização começou com a circulação dos ônibus, hoje, nos terminais Julio de Castilhos, Guaicurus e Bandeirantes. Os passageiros que são encontrados sem máscara são orientados sobre o decreto que obriga o uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual) dentro dos ônibus e recebiam uma de brinde da equipe da prefeitura.

No terminal Julio de Castilho, a fiscalização estava sendo feita por sete fiscais da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) e da Guarda Municipal. O titular da secretaria, Luís Eduardo Costa, disse que 90% dos usuários do transporte coletivo estão obedecendo a regra, “uma grata surpresa”.

“É uma realidade que o campo-grandense precisa entender que vai fazer parte do cotidiano, vão conviver com isso pelos próximos meses, no decorrer do ano, não tem data para essa medida ser retirada”, disse o secretário.

Uma das pessoas orientadas foi o pintor Sebastião dos Santos, 57 anos, que desceu do ônibus do Jardim Imá sem máscara. Ele foi abordado por uma equipe e ganhou o EPI da prefeitura. Questionado pela reportagem o motivo de não estar usando uma, respondeu: “Eu tenho, tá aqui na mochila”.

Ele reclamou que a fiscalização tem que ir aos bairros, onde a medida não está sendo cumprida pelos usuários do transporte coletivo. Também questionou que, se a prefeitura quiser obrigatoriedade, deve distribuir o material. “Mas o senhor acabou de receber”, disse a reportagem. Resignado respondeu. “É, agora vou usar”.

Segundo a prefeitura, a fiscalização fora dos terminais depende do motorista, que só pode sair quando todos os passageiros estiverem de máscara.

A auxiliar de limpeza Núbia Silva de Oliveira, 47 anos, presta serviço em unidades de saúde e achou a medida bem-vinda. “Estou vendo tudo que está acontecendo, sei que a coisa é séria, por isso, acho ótimo [decreto]”. Ela reclama que sempre usou a máscara, mas quem não tinha o EPI coloca o outro em risco.

Risco – hoje, também foi possível flagrar o desrespeito ao distanciamento social necessário em locais públicos. A fila do ônibus Julio de Castilhos- Morenão tinha mais de 60 pessoas, mas ninguém respeitou a distância mínima de 1,5 metro e as equipes da Guarda Municipal e da Semadur não interferiram na situação.

 

fonte: campograndenews
Espalhe por ai:

Veja Também

MS tem 406 pacientes internados com a covid e Saúde pede “medidas restritivas”

Durante live, titular da Secretaria Estadual de Saúde pediu a gestores municipais medidas como toque ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.