Procon encontra variação de até 130% em produtos da ceia de Natal

Comparação foi feita em dez estabelecimentos de Campo Grande. Ao todo, 123 produtos foram analisados e a variação pode chegar a 130%.

Produtos de Natal estão até 130% mais caros – Divulgação

 

 

O Procon Estadual encontrou grande variação nos preços dos produtos típicos na ceia de Natal. Equipes de pesquisa estiveram em dez supermercados da capital, e compararam preços de 201 produtos, entre aves, azeites, conservas, farofas, frutas em calda, panetones/ chocotones e bacalhau. A maior variação encontrada ultrapassou 130,11%.

O natal está próximo, período em que mesmo enfrentando dificuldades, muitas famílias se esforçam para manter a tradição de preparar ceias e reunir familiares, neste ano, em menor quantidade, sem aglomeração.

Segundo a pesquisa, a farofa pronta Yoki foi a que apresentou maior diferença de preço. O produto de 500 gramas pode ser comprado por R$ 2,69 no Fort Atacadista, enquanto no supermercado Pires a farofa sai por R$ 6,19, uma diferença de 130,11%.

Em segundo lugar ficou o aspargo verde de 190 g, com variação de 99,56%. O produto está sendo comercializado no Extra por R$ 40,49, e no Carrefour está disponível por R$ 20,29.

O produto que apresentou a terceira maior variação de preço foi a lentilha Yoki de 500g. No Pires o produto é vendido por R$ 13,55, e no Extra por R$ 6,99, uma diferença de 93%85.

O tradicional peru de Natal, pode ser encontrado com preço de R$ 18,98 no Atacadão, e a R$ 22,90 no supermercado Nunes. A variação é de 20,65%%.

Entre os panetones/chocotones, um dos itens mais consumidos na época de Natal, a maior diferença foi de 42,69%. No supermercado Mr Junior, o panettone frutas Bauducco de 1kg é comercializado por R$ 43,95, já no Atacadão é possível encontrar o mesmo produto por R$ 30,80.

Foram analisados 201 artigos da ceia de natal, mas divulgados os preços de apenas 123 produtos pelo fato dos outros 78 terem sido encontrados em apenas um nos locais onde o Procon Estadual realizou a pesquisa.

Entre os 123 produtos analisados, 67 sofreram alta em comparação com o mesmo período de 2019, enquanto, 20 artigos tiveram diminuição nos preços.

O órgão informou que a pesquisa tem como objetivo permitir que os consumidores analisem os preços antes das compras, e consigam economizar.

 

 

fonte: correiodoestado
Espalhe por ai:

Veja Também

Governo amplia vagas e destina R$ 3,8 milhões para atletas e técnicos de MS

Número de vagas aumentou 45%, de acordo com publicação no Diário Oficial desta quinta-feira   ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.