Home / Destaques / Saúde quer proteção para além de coronavírus e já cogita agir na fronteira

Saúde quer proteção para além de coronavírus e já cogita agir na fronteira

Medidas foram debatidas na primeira reunião do Centro de Operações Emergências para definir medidas em relação a doença

Medidas de prevenção ao coronavírus foram debatidas em primeira reunião do Centro de Operações de Emergência (Foto: Divulgação/SES)

 

Adequar o plano de contingência para abranger outras doenças respiratórias, além do novo coronavírus, e pedir orientações para agir na região de fronteira estão entre as definições tiradas na primeira reunião do Centro de Operações Emergências, realizada na manhã desta terça-feira. O grupo foi criado pela SES (Sistema de Estado de Saúde) para traçar ações de prevenção quanto ao avanço da doença que já matou 426 pessoas na China e tem 14 casos suspeitos no Brasil.

De acordo com a infectologista Priscila Alexandrino, medidas semelhantes para prevenir dessa doença servem, por exemplo, para outros vírus respiratórios como a gripe, comum durante o período de inverno, entre os meses de junho e setembro. “Influenza é mais comum”, explica a médica do Hospital Universitário, instituição que dá acompanhamento técnico ao grupo.

Apesar de não serem detectados casos suspeitos de coronavírus no Estado, há investigação no País vizinho, o Paraguai. Por isso, o grupo vai pedir orientações à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária ) sobre procedimentos referentes a ações na fronteira.

A reunião contou com a presença de representantes das áreas técnicas da SES envolvidos na atuação em situações de emergências de saúde. Durante as explanações, foi informado o cenário global do novo coronavírus.

Também foi reforçado entre os integrantes do centro o fluxo de atendimento de casos suspeitos e foi reapresentada a nota técnica orientando sobre as ações a serem adotadas em caso de surgimento de pessoas com os sintomas da doença e de como proceder com a coleta de amostras para exames.

A nota já foi enviada aos profissionais de saúde dos 79 municípios e também a todos os serviços de saúde públicos e privados. Os profissionais de saúde têm prazo de 24h para comunicar a Saúde sobre as suspeitas.

O Centro de Operações de Emergência será o responsável pelas informações oficiais referentes a doença, em Mato Grosso do Sul. As reuniões serão semanais e será divulgado boletim epidemiológico, caso apareçam casos suspeitos do nCov-2019 .

 

fonte: campograndenews
Espalhe por ai:

Veja Também

MS tem 406 pacientes internados com a covid e Saúde pede “medidas restritivas”

Durante live, titular da Secretaria Estadual de Saúde pediu a gestores municipais medidas como toque ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.