Home / Destaques / Universidades particulares são alvos de petições para reduzir mensalidades

Universidades particulares são alvos de petições para reduzir mensalidades

Ao todo, 4 mil estudantes já assinaram atos que pedem desconto durante período sem aulas presenciais 

Ato que contesta cobrança integral das mensalidades na Uniderp tem 1,8 mil assinaturas (Foto: Paulo Francis/Arquivo)

Uniderp e UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), em Campo Grande, são alvos de petições online que pedem a redução das mensalidades durante o período de pandemia do novo coronavírus. A emergência em Saúde forçou a suspensão das aulas presenciais há um mês e meio.

Os estudantes seguem em atividade, mas remota, em que os professores ministram aulas virtuais.

Alunos alegam que grande parte foi atingida pelos impactos da desaceleração econômica – como desemprego ou redução de salários. Eles reforçam que parte dos recursos pelos quais pagam não são entregues pelo regime de aulas virtuais.

O abaixo assinado que pede descontos na mensalidade da Uniderp somava 1.850 mil adesões no fim da manhã desta segunda-feira (4). À frente da petição, o estudante de Psicologia, Victor Gutierrez, 21, defende que a disparidade entre o valor da mensalidade de um curso presencial para uma graduação à distância – modalidade oferecida pela instituição – chega a 400%.

“A maioria dos cursos presenciais cobra uma média de R$ 1,6 mil de mensalidade. Estamos tendo aulas por plataforma inferior à disponibilizada aos cursos EAD. A universidade diz que está investindo em tecnologia, mas não vemos isso”, reclama.

Gutierrez pede redução de, pelo menos, 15% no valor pago todos os meses. “Tem gente que teve salário afetado, muito aluno cancelando a matrícula e pensando em trancar depois do primeiro semestre”, completa.

Em nota, a Uniderp defende que os professores estão “trabalhando em jornada integral para que não haja qualquer prejuízo ao currículo e calendário escolar”. Por isso, a instituição de ensino aponta que “não houve qualquer redução de custos para a instituição”.

A universidade alega que “investimentos adicionais precisaram ser direcionados à plataforma interativa como forma de viabilizar a transmissão das aulas online”, e que “o valor cobrado mensalmente corresponde a uma parcela do custo total do ano ou semestre letivo em curso”, por isso “não devem sofrer qualquer impacto”.

UCDB – A petição online pelo corte nas mensalidades da instituição já havia sido assinada por 2.150 mil acadêmicos até o fim desta manhã.

Organizadores do ato também ressaltam que estudantes, pais e responsáveis foram atingidos pela crise econômica. A reportagem não encontrou mobilizadores do abaixo assinado.

A UCDB foi procurada e não respondeu até a publicação do texto.

Escolas – Na Capital, colégios já adotaram reduções nas mensalidades. Segundo Procon (Superintendência de Orientação e Defesa dos Direitos do Consumidor), pelo menos 50 instituições de ensino diminuíram os valores cobrados durante o período de aulas suspensas.

 

fonte: campograndenews
Espalhe por ai:

Veja Também

MS tem 406 pacientes internados com a covid e Saúde pede “medidas restritivas”

Durante live, titular da Secretaria Estadual de Saúde pediu a gestores municipais medidas como toque ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.